GRUPO CERCO 10 ANOS NO THEATRO SÃO PEDRO

MOSTRA DE REPERTÓRIO – DATAS E HORÁRIOS:
-> Evento Facebook: https://www.facebook.com/events/232673037400556/

O SOBRADO (2008) – 23/11 às 21h
PULI-PULÁ (2015) – 24/11 às 16h (teatro de rua)
INCIDENTE EM ANTARES (2012) – 24/11 às 21h
ARENA SELVAGEM (2018) – 25/11 às 18h
Local: Theatro São Pedro (Praça Marechal Deodoro, s/n°, Centro Histórico, Porto Alegre/RS)

***AVISO IMPORTANTE sobre ARENA SELVAGEM: não haverá ingressos de plateia, apenas 100 cadeiras dispostas no palco. Esses ingressos só serão vendidos na bilheteria física do Theatro São Pedro. Demais lugares tem lotação normal e podem ser adquiridos online ou na bilheteria física.***

INGRESSOS
Na bilheteria física do Theatro São Pedro
Ou através do site http://vendas.teatrosaopedro.com.br
Informações: (51) 3227 5300 / 3227 5100

VALORES
Plateia R$ 60,00
Camarote central R$ 50,00
Camarote lateral R$ 40,00
Galerias R$ 30,00

DESCONTOS
Associados da AATSP (ingressos limitados) – 50%
Idosos 50% (mediante comprovante, conforme Lei Federal 10.741/2003 – Estatuto do Idoso)
Estudantes 50%
Classe artística, 50% mediante comprovação
Pessoas com deficiência 50%
Jovens de baixa renda 50%, nos termos da Lei Federal 12.933
Doadores de sangue 50%, mediante apresentação da carteira de doador emitida pelo Hemocentro ou Bancos de Sangue do Estado do RS, nos termos da Lei Estadual 13.891.

SOBRE OS ESPETÁCULOS

O SOBRADO
SINOPSE
O Sobrado é uma adaptação cênica de sete capítulos da obra literária O Continente, que integra a trilogia O Tempo e o Vento, de Erico Verissimo. A ação se passa em 1895, quando o chefe político republicano Licurgo Cambará se encontra sitiado em sua casa, junto à sua família e correligionários, sob o cerco de tropas federalistas. Fechados no sobrado durante dez dias, com pouca comida, água e munição, os personagens da trama relacionam-se em um meio conturbado e agonizante, enquanto a morte se faz presente dentro e fora da casa. Permeia essa obra-prima da literatura brasileira o patriarcalismo, o belicismo, a relação com a terra e a presença forte e constante das mulheres, apresentando uma história permeada pela cultura regional, fazendo o espectador vislumbrar a formação da sociedade gaúcha, que se mostra extremamente universal por tratar de temas profundamente humanos.
Duração: 1h45
Classificação: 14 anos.

FICHA TÉCNICA
Adaptação para a linguagem cênica dos sete capitulos homonimos da obra O continente de Erico Verissimo
DIreção: Inês Marocco
Assistência de Direção: Isandria Fermiano , Kalisy Cabeda e Rodrigo Fiatt.
Elenco: Anildo Böes, Camila Falcão, Celso Zanini, Elisa Heidrich, Filipe Rossato, Isandria Fermiano, Kalisy Cabeda, Luis Franke, Manoela Wunderlich, Marina Kerber, Martina Fröhlich, Philipe Philippsen, Rita Mauricio, Rodrigo Fiatt.
Criação e adaptação: Grupo Cerco
Dramaturgia: Celso Zanini,Elisa Heidrich, Isandria Fermiano, Marina Kerber, Mirah Laline e Rodrigo Fiatt.
Pesquisa Histórica: Filipe Rossato e Philipe Philippsen.
Trilha sonora: Philipe Philippsen, Celso Zanini, Martina Fröhlich e Luis Franke.
Cenário: Élcio Rossini
Figurino: Rô Cortinhas
Desenho de luz: Cláudia de Bem
Operação de luz: Mirco Zanini
Orientação Teórica: Maria da Glória Bordini
Fotografia arte evento: Felipe Ramalho
Realização: Grupo Cerco

PULI-PULÁ
SINOPSE
Estreado em 2015, Puli-Pulá é o primeiro espetáculo infantojuvenil do Grupo Cerco e também seu primeiro trabalho de teatro de rua.
Puli-Pulá leva à cena uma das mais antigas tradições populares que move gerações de diversas culturas: o pular corda. No espetáculo o espectador é convidado a mergulhar em um universo lúdico e a brincar com o elenco em cena. Canções originais e da tradição oral, histórias e jogos compõem a narrativa apresentada ao ar livre, conduzida por atores e atrizes “brincantes”, que tocam instrumentos e interpretam diversos personagens. De forma alegre, colorida e musicada, Puli-Pulá é um convite à ocupação dos parques, das praças, da rua. A rua que é a de casa, a do trabalho, mas que também é a da brincadeira, da arte, do convívio e da liberdade de expressão.
Para a criação do espetáculo, o grupo percorreu diversas escolas públicas de Porto Alegre a fim de compor a obra com participação ativa do público infanto-juvenil e propor atividades lúdicas.
Puli-Pulá foi contemplado com o Prêmio Funarte Artes na Rua do Governo Federal.
Duração: 45 min
Classificação: Livre

FICHA TÉCNICA
Direção: Mirah Laline
Dramaturgia: O grupo
Elenco: Elisa Heidrich, Filipe Rossato, Manoela Wunderlich, Martina Fröhlich e Philipe Philippsen
Trilha Sonora Original: O grupo
Adereços Cênicos: Rodrigo Shalako
Figurinos: Geluza Tagliaro
Fotografia arte evento: Adriana Marchiori
Realização: Grupo Cerco

INCIDENTE EM ANTARES
SINOPSE
Incidente em Antares é uma adaptação da segunda parte do romance homônimo de Erico Verissimo. A história situa-se no contexto pré-ditadura militar do Brasil, retratada numa cidade fictícia do interior do Rio Grande do Sul chamada Antares. O espetáculo inicia-se em 1963, quando uma greve geral paralisa a cidade. Dois dias depois, em uma sexta-feira 13, sete pessoas morrem por diferentes causas e não são sepultadas, pois os coveiros aderiram à greve. Indignados, os defuntos levantam-se de seus esquifes e reclamam por seu enterro, invadindo a cidade com seus corpos putrefatos. Vivos e mortos passam a discutir em praça pública a vida social e política de Antares, desvelando a podridão e a hipocrisia das autoridades e dos habitantes locais. Revelações que poderiam transformar a sociedade e seus indivíduos, mas que, ao final, sucumbem à força da alienação e dos interesses políticos de uma minoria.
Duração: 2h15
Classificação: 14 anos

FICHA TÉCNICA
Adaptação para a linguagem cênica do romance homônimo de Erico Verissimo
Direção: Inês Marocco
Assistência de Direção: Isandria Fermiano e Filipe Rossato.
Elenco: Anildo Böes, Celso Zanini, Eduardo Schmidt, Elisa Heidrich, Filipe Rossato, Isandria Fermiano, Kalisy Cabeda, Manoela Wunderlich, Marina Kerber, Martina Fröhlich, Philipe Philippsen, Rita Mauricio e Rodrigo Fiatt .
Criação e adaptação: Grupo Cerco
Dramaturgia: Celso Zanini, Filipe Rossato, Kalisy Cabeda e Philipe Philippsen
Trilha sonora: Philipe Philippsen, Celso Zanini e Martina Fröhlich .
Cenografia: Grupo Cerco e Elcio Rossini
Figurino: Rô Cortinhas
Desenho de luz: Mirco Zanini
Operação de luz: Mirco Zanini
Orientação Teórica: Maria da Glória Bordini e André Jaeger da Cunha.
Fotografia arte evento: Elissa Brito e Fernanda Souza
Realização: Grupo Cerco

ARENA SELVAGEM
SINOPSE
O que é ser selvagem?
Neste espetáculo, o Grupo Cerco te convida a entrar em uma arena onde seres humanos encontram-se com sua animalidade. A cidade e a selva. A opressão e a liberdade. O instinto e a sobrevivência. Em meio à artificialidade que criamos para nos diferenciar entre nós e dos outros animais, nossos corpos revelam que essas mudanças são superficiais diante da força da nossa natureza.
Arena Selvagem foi construído através de pesquisa do grupo Cerco no Centro de Documentação e Pesquisa em Artes Cênicas do Teatro de Arena, que conta com textos dramáticos, muitos oriundos do antigo Departamento de Censura da Polícia Federal, livros de artes cênicas e videoteca. Além dos textos teatrais, o espetáculo reúne conteúdos científicos, fragmentos de contos e cenas criadas pelo elenco. Oito atrizes e atores revezam-se em cena entre diversas personagens, executando, inclusive, trilha sonora autoral.
Duração: 1h20
Classificação: 16 anos

FICHA TÉCNICA
Criação coletiva do Grupo Cerco
Livremente inspirado em textos de Carlos Carvalho, Franz Kafka, Carlos Drummond de Andrade e do grupo.
Direção: Inês Marocco
Assistência de Direção: Kalisy Cabeda e Manoela Wunderlich
Dramaturgia: Celso Zanini, Elisa Heidrich e Marina Kerber
Elenco: Anildo Böes, Celso Zanini, Elisa Heidrich, Kalisy Cabeda, Manoela Wunderlich, Martina Fröhlich, Marina Kerber, Philipe Philippsen
Trilha sonora original: Celso Zanini, Martina Fröhlich, Philipe Philippsen
Iluminação: Carolina Zimmer
Operação de luz: Carolina Zimmer
Figurino: Daniel Lion
Confecção de máscaras: Diego Steffani
Cenografia: Rodrigo Shalako
Programação visual: Marina Kerber
Fotografia arte evento: Pietro F.
Realização: Grupo Cerco – 10 Anos

SOBRE O GRUPO CERCO
Há dez anos um grupo de alunos universitários era convocado pela professora Inês Marocco para realizar montagem teatral em comemoração aos 100 anos do Instituto de Artes da UFRGS. Nasce o espetáculo O Sobrado e, com ele, o Grupo Cerco de teatro.
Ao longo dessa década, alguns desses alunos oriundos do Departamento de Arte Dramática se formaram, outros não; alguns seguiram seus estudos acadêmicos, outros alçaram vôos investigativos de fazeres teatrais em outros grupos, estados e países. Mas a vontade de seguir aprimorando a semente que foi plantada em 2008 também seguiu e vieram outros projetos, performances, temporadas, turnês, premiações. Nasceram também os “filhos” Incidente em Antares (2012) e Puli-Pulá (2015).
Celebrando os dez anos dessa família artística, em 2018 estreamos Arena Selvagem dentro do Teatro de Arena de Porto Alegre, através de edital em comemoração aos 50 anos deste teatro. Também inauguramos o Espaço Cerco Cultural, nossa sede, no início de setembro.
Agora em novembro continuamos nossas celebrações! Desta vez em parceria com o Theatro São Pedro que está comemorando 160 anos! Para isso faremos uma mostra de repertório em novembro! ♥

GRUPO CERCO 10 ANOS – MOSTRA DE REPERTÓRIO NO THEATRO SÃO PEDRO
Gestão de mídias sociais e programação visual: Marina Kerber
Teaser: Celso Zanini
Produção executiva: Daniela Lopes / Cardápio Cultural
Realização: Grupo Cerco – 10 anos e Theatro São Pedro

Anúncios

Grupo Cerco diz #elenão

grupo cerco_elenão

O avanço do pensamento fascista e de um projeto de país pautado na repressão e no desrespeito aos direitos humanos nos preocupa profundamente. Nosso grupo nasceu dentro de uma universidade pública, então achamos que devemos compartilhar nossa posição nesse momento de risco da democracia brasileira e somar nossas vozes à resistência democrática. Em primeiro lugar, não queremos de forma alguma ofender quem pensa diferente de nós – e é justamente por isso que vamos nos pronunciar: porque acreditamos na pluralidade de ideias e no respeito democrático pelos adversários. Queremos um Brasil livre de opressão, medo, violência e ignorância. O Brasil que queremos deve ser justo para todas e todos, dando oportunidade para que floresçamos em uma democracia igualitária em direitos e diversa em expressões. Entendemos que a candidatura de Bolsonaro, da forma como foi conduzida é alarmante, com os sinais gritantes de desrespeito à democracia, enaltecendo o autoritarismo e promovendo discursos sem apreço à vida humana. Além disso, uma campanha erguida através da disseminação de notícias falsas e de teorias da conspiração Portanto, de forma respeitosa e democrática, declaramos nosso repudio à candidatura de Bolsonaro e aos seus valores de ódio e desrespeito à vida. Lutamos por um país onde a cultura, a educação e a liberdade de expressão sejam possíveis. E, independente do resultado de Domingo, seguiremos acreditando e promovendo a democracia e os direitos humanos. #elenão

Grupo Cerco – Porto Alegre/RS – Brasil

#grupocerco #espacocercocultural #brasil #portoalegre #riograndedosul #teatro #arte#cultura

GRUPO CERCO 10 ANOS – MOSTRA DE REPERTÓRIO

post instagram_grupo cerco sao pedro2bGRUPO CERCO 10 ANOS

Há dez anos um grupo de alunos universitários era convocado pela professora Inês Marocco para realizar montagem teatral em comemoração aos 100 anos do Instituto de Artes da UFRGS. Nasce o espetáculo O Sobrado e, com ele, o Grupo Cerco de teatro.
Ao longo dessa década, alguns desses alunos oriundos do Departamento de Arte Dramática se formaram, outros não; alguns seguiram seus estudos acadêmicos, outros alçaram vôos investigativos de fazeres teatrais em outros grupos, estados e países. Mas a vontade de seguir aprimorando a semente que foi plantada em 2008 também seguiu e vieram outros projetos, performances, temporadas, turnês, premiações. Nasceram também os “filhos” Incidente em Antares (2012) e Puli-Pulá (2015).
Celebrando os dez anos dessa família artística, em 2018 estreamos Arena Selvagem dentro do Teatro de Arena de Porto Alegre, através de edital em comemoração aos 50 anos deste teatro. Também inauguramos o Espaço Cerco Cultural, nossa sede, no início de setembro.
Agora em novembro continuamos nossas celebrações! Desta vez em parceria com o Theatro São Pedro que está comemorando 160 anos! Para isso faremos uma mostra de repertório em novembro! ♥

MOSTRA DE REPERTÓRIO – DATAS E HORÁRIOS:
-> Evento Facebook: https://www.facebook.com/events/232673037400556/

O SOBRADO (2008) – 23/11 às 21h
PULI-PULÁ (2015) – 24/11 às 16h (teatro de rua)
INCIDENTE EM ANTARES (2012) – 24/11 às 21h
ARENA SELVAGEM (2018) – 25/11 às 18h
Local: Theatro São Pedro (Praça Marechal Deodoro, s/n°, Centro Histórico, Porto Alegre/RS)

***AVISO IMPORTANTE sobre ARENA SELVAGEM: não haverá ingressos de plateia, apenas 100 cadeiras dispostas no palco. Esses ingressos só serão vendidos na bilheteria física do Theatro São Pedro. Demais lugares tem lotação normal e podem ser adquiridos online ou na bilheteria física.***

INGRESSOS
Na bilheteria física do Theatro São Pedro
Ou através do site http://vendas.teatrosaopedro.com.br
Informações: (51) 3227 5300 / 3227 5100

VALORES
Plateia R$ 60,00
Camarote central R$ 50,00
Camarote lateral R$ 40,00
Galerias R$ 30,00

DESCONTOS
Associados da AATSP (ingressos limitados) – 50%
Idosos 50% (mediante comprovante, conforme Lei Federal 10.741/2003 – Estatuto do Idoso)
Estudantes 50%
Classe artística, 50% mediante comprovação
Pessoas com deficiência 50%
Jovens de baixa renda 50%, nos termos da Lei Federal 12.933
Doadores de sangue 50%, mediante apresentação da carteira de doador emitida pelo Hemocentro ou Bancos de Sangue do Estado do RS, nos termos da Lei Estadual 13.891.

SOBRE OS ESPETÁCULOS

O SOBRADO
SINOPSE
O Sobrado é uma adaptação cênica de sete capítulos da obra literária O Continente, que integra a trilogia O Tempo e o Vento, de Erico Verissimo. A ação se passa em 1895, quando o chefe político republicano Licurgo Cambará se encontra sitiado em sua casa, junto à sua família e correligionários, sob o cerco de tropas federalistas. Fechados no sobrado durante dez dias, com pouca comida, água e munição, os personagens da trama relacionam-se em um meio conturbado e agonizante, enquanto a morte se faz presente dentro e fora da casa. Permeia essa obra-prima da literatura brasileira o patriarcalismo, o belicismo, a relação com a terra e a presença forte e constante das mulheres, apresentando uma história permeada pela cultura regional, fazendo o espectador vislumbrar a formação da sociedade gaúcha, que se mostra extremamente universal por tratar de temas profundamente humanos.
Duração: 1h45
Classificação: 14 anos.

FICHA TÉCNICA
Adaptação para a linguagem cênica dos sete capitulos homonimos da obra O continente de Erico Verissimo
DIreção: Inês Marocco
Assistência de Direção: Isandria Fermiano , Kalisy Cabeda e Rodrigo Fiatt.
Elenco: Anildo Böes, Camila Falcão, Celso Zanini, Elisa Heidrich, Filipe Rossato, Isandria Fermiano, Kalisy Cabeda, Luis Franke, Manoela Wunderlich, Marina Kerber, Martina Fröhlich, Philipe Philippsen, Rita Mauricio, Rodrigo Fiatt.
Criação e adaptação: Grupo Cerco
Dramaturgia: Celso Zanini,Elisa Heidrich, Isandria Fermiano, Marina Kerber, Mirah Laline e Rodrigo Fiatt.
Pesquisa Histórica: Filipe Rossato e Philipe Philippsen.
Trilha sonora: Philipe Philippsen, Celso Zanini, Martina Fröhlich e Luis Franke.
Cenário: Élcio Rossini
Figurino: Rô Cortinhas
Desenho de luz: Cláudia de Bem
Operação de luz: Mirco Zanini
Orientação Teórica: Maria da Glória Bordini
Fotografia arte evento: Felipe Ramalho
Realização: Grupo Cerco

PULI-PULÁ
SINOPSE
Estreado em 2015, Puli-Pulá é o primeiro espetáculo infantojuvenil do Grupo Cerco e também seu primeiro trabalho de teatro de rua.
Puli-Pulá leva à cena uma das mais antigas tradições populares que move gerações de diversas culturas: o pular corda. No espetáculo o espectador é convidado a mergulhar em um universo lúdico e a brincar com o elenco em cena. Canções originais e da tradição oral, histórias e jogos compõem a narrativa apresentada ao ar livre, conduzida por atores e atrizes “brincantes”, que tocam instrumentos e interpretam diversos personagens. De forma alegre, colorida e musicada, Puli-Pulá é um convite à ocupação dos parques, das praças, da rua. A rua que é a de casa, a do trabalho, mas que também é a da brincadeira, da arte, do convívio e da liberdade de expressão.
Para a criação do espetáculo, o grupo percorreu diversas escolas públicas de Porto Alegre a fim de compor a obra com participação ativa do público infanto-juvenil e propor atividades lúdicas.
Puli-Pulá foi contemplado com o Prêmio Funarte Artes na Rua do Governo Federal.
Duração: 45 min
Classificação: Livre

FICHA TÉCNICA
Direção: Mirah Laline
Dramaturgia: O grupo
Elenco: Elisa Heidrich, Filipe Rossato, Manoela Wunderlich, Martina Fröhlich e Philipe Philippsen
Trilha Sonora Original: O grupo
Adereços Cênicos: Rodrigo Shalako
Figurinos: Geluza Tagliaro
Fotografia arte evento: Adriana Marchiori
Realização: Grupo Cerco

INCIDENTE EM ANTARES
SINOPSE
Incidente em Antares é uma adaptação da segunda parte do romance homônimo de Erico Verissimo. A história situa-se no contexto pré-ditadura militar do Brasil, retratada numa cidade fictícia do interior do Rio Grande do Sul chamada Antares. O espetáculo inicia-se em 1963, quando uma greve geral paralisa a cidade. Dois dias depois, em uma sexta-feira 13, sete pessoas morrem por diferentes causas e não são sepultadas, pois os coveiros aderiram à greve. Indignados, os defuntos levantam-se de seus esquifes e reclamam por seu enterro, invadindo a cidade com seus corpos putrefatos. Vivos e mortos passam a discutir em praça pública a vida social e política de Antares, desvelando a podridão e a hipocrisia das autoridades e dos habitantes locais. Revelações que poderiam transformar a sociedade e seus indivíduos, mas que, ao final, sucumbem à força da alienação e dos interesses políticos de uma minoria.
Duração: 2h15
Classificação: 14 anos

FICHA TÉCNICA
Adaptação para a linguagem cênica do romance homônimo de Erico Verissimo
Direção: Inês Marocco
Assistência de Direção: Isandria Fermiano e Filipe Rossato.
Elenco: Anildo Böes, Celso Zanini, Eduardo Schmidt, Elisa Heidrich, Filipe Rossato, Isandria Fermiano, Kalisy Cabeda, Manoela Wunderlich, Marina Kerber, Martina Fröhlich, Philipe Philippsen, Rita Mauricio e Rodrigo Fiatt .
Criação e adaptação: Grupo Cerco
Dramaturgia: Celso Zanini, Filipe Rossato, Kalisy Cabeda e Philipe Philippsen
Trilha sonora: Philipe Philippsen, Celso Zanini e Martina Fröhlich .
Cenografia: Grupo Cerco e Elcio Rossini
Figurino: Rô Cortinhas
Desenho de luz: Mirco Zanini
Operação de luz: Mirco Zanini
Orientação Teórica: Maria da Glória Bordini e André Jaeger da Cunha.
Fotografia arte evento: Elissa Brito e Fernanda Souza
Realização: Grupo Cerco

ARENA SELVAGEM
SINOPSE
O que é ser selvagem?
Neste espetáculo, o Grupo Cerco te convida a entrar em uma arena onde seres humanos encontram-se com sua animalidade. A cidade e a selva. A opressão e a liberdade. O instinto e a sobrevivência. Em meio à artificialidade que criamos para nos diferenciar entre nós e dos outros animais, nossos corpos revelam que essas mudanças são superficiais diante da força da nossa natureza.
Arena Selvagem foi construído através de pesquisa do grupo Cerco no Centro de Documentação e Pesquisa em Artes Cênicas do Teatro de Arena, que conta com textos dramáticos, muitos oriundos do antigo Departamento de Censura da Polícia Federal, livros de artes cênicas e videoteca. Além dos textos teatrais, o espetáculo reúne conteúdos científicos, fragmentos de contos e cenas criadas pelo elenco. Oito atrizes e atores revezam-se em cena entre diversas personagens, executando, inclusive, trilha sonora autoral.
Duração: 1h20
Classificação: 16 anos

FICHA TÉCNICA
Criação coletiva do Grupo Cerco
Livremente inspirado em textos de Carlos Carvalho, Franz Kafka, Carlos Drummond de Andrade e do grupo.
Direção: Inês Marocco
Assistência de Direção: Kalisy Cabeda e Manoela Wunderlich
Dramaturgia: Celso Zanini, Elisa Heidrich e Marina Kerber
Elenco: Anildo Böes, Celso Zanini, Elisa Heidrich, Kalisy Cabeda, Manoela Wunderlich, Martina Fröhlich, Marina Kerber, Philipe Philippsen
Trilha sonora original: Celso Zanini, Martina Fröhlich, Philipe Philippsen
Iluminação: Carolina Zimmer
Operação de luz: Carolina Zimmer
Figurino: Daniel Lion
Confecção de máscaras: Diego Steffani
Cenografia: Rodrigo Shalako
Programação visual: Marina Kerber
Fotografia arte evento: Pietro F.
Realização: Grupo Cerco – 10 Anos

GRUPO CERCO 10 ANOS – MOSTRA DE REPERTÓRIO NO THEATRO SÃO PEDRO
Gestão de mídias sociais e programação visual: Marina Kerber
Teaser: Celso Zanini
Produção executiva: Daniela Lopes / Cardápio Cultural
Realização: Grupo Cerco – 10 anos e Theatro São Pedro

Fim da primeira temporada de ARENA SELVAGEM

Arena Selvagem - ph Morgana Mazzon (175)Nosso espetáculo ARENA SELVAGEM fez temporada de 4 finais de semana no Teatro de Arena de Porto Alegre e depois circulou nas cidades de Canela e Montenegro. Além disso, também fez parte do projeto a oficina “A Dinâmica dos animais na linguagem cênica”, que foi ministrada pela diretora Inês Marocco e a atriz e assistente de direção  Manoela Wunderlich. Agradecemos a todos e todas que participaram da construção desse trabalho e a todo mundo que foi ao teatro nos prestigiar! Foi um processo intenso e profundo que envolveu diversas pessoas até nascer dentro do Teatro de Arena! Como falamos ao final de nossas apresentações: “Não existe teatro sem público!”, por isso muito obrigado por terem lotado nossa Arena Selvagem! Fiquem ligades na nossa página no Facebook e no nosso Instagram para divulgação das nossas próximas atividades! Gratidão! ❤️🎭

Foto: Morgana Mazzon

CURSO – Teatro em Inglês

57ad615b-6647-4b5e-84a8-d76f4ff2adca

O Grupo Cerco oferece curso de Teatro em Inglês com Anildo Böes.
Este curso tem como propósito desenvolver e praticar a expressão da língua inglesa através do teatro. O aluno será imerso em uma aula que terá como foco utilizar diversos meios de comunicação, como jogos teatrais, textos e canções. Assim irá adquirir vocabulário e perder aquela insegurança no uso da língua inglesa. As aulas serão conduzidas em inglês para que o aluno se acostume a ouvir e seguir instruções em inglês e assim adquirir vocabulário não através da tradução da palavra mas sim pela prática, imitação e repetição de ações.
A turma será composta por alunos de diferentes níveis de inglês sendo que os alunos com inglês básico e intermediário trabalharam com situações e vocabulário mais simples enquanto os mais avançados serão incentivados a trabalhar com textos mais complexos. Ao final do curso haverá apresentação final para plateia convidada.

Destinado a maiores de 18 anos com ou sem experiência teatral.
Há possibilidade de abrir uma turma para jovens entre 14 e 17 anos conforme procura e solicitações.

Turmas com no máximo 10 alunos
12 encontros de 2h/aula
06 Setembro a 06 Dezembro

Quinta-Feira das 19h às 21h

Conteúdo
1ª a 4ª semana
Desinibição, sensibilização e conscientização corporal
5ª a 8ª semana
Improvisação individual e coletiva
9ª a 12ª semana
Criação de cenas e apresentação final

Valor:
A vista 550
ou 3x de 200

Contato:
anildoboes@gmail.com
(51) 98458-9238
facebook.com/anildoboes
Evento no Facebook 

———————————————————
———————————————————

Porque ofereço este curso?

Na época que estudava inglês no Brasil sentia muita vergonha em me expressar durante as aulas de inglês. Quando morei em Singapura a prática teatral me ajudou muito pois a repetição e imitação me auxiliaram para adquirir vocabulário. Preparei então um curso que ajude os alunos a desbloquear essa insegurança através do teatro.

Ministrante: Anildo Böes

Trabalha principalmente como ator e investigador da expressão corporal e vocal. Tem experiência em teatro com técnicas e formas ocidentais e orientais (tradicionais e contemporâneas). Como oficineiro desenvolve a integração em grupo e o desenvolvimento pessoal através da consciência corporal. Atuou e desenvolveu projetos em Singapura, Malásia, Índia e Brasil. Membro/fundador do grupo de teatro GRUPO CERCO(Poa/RS), colaborador dos coletivos artísticos R.A.T.S.(UK/SG/MY), PORCO COM ASAS(Poa/RS), TRANSPIRO(Poa/RS) e BLOCO DA LAJE(Poa/RS).

Possui longa experiência em Mimo Corpóreo e Tai Chi. Trabalha com dinâmicas e ritmos para desenvolvimento de expressão corpo/voz fundamentado nas técnicas ocidentais de Michael Chekhov, Lecoq, Etienne Decroux e orientais de Butoh, Ópera de Pequim, Wayang Wong, Teatro Noh e Kutiyattam. Desenvolve condicionamento físico baseado em técnicas de Feldenkrais, Pilates e massagem.

Formação:

UFRGS(Brasil)
Graduação em Teatro(Atuação) — 2008-2012
Nos anos de 2009 à 2012 foi pesquisador de Iniciação científica(Bolsa de Estudo FAPERGS) sob a orientação da Profª Drª Inês Alcaraz Marocco.

INTERCULTURAL THEATRE INSTITUTE(Singapura)
Diploma em Teatro Intercultural(Atuação) — 2014-2016

NAM WAH TAIJIGONG(Singapura)
Certificado para ensinar Tai Chi 24 e Qi Gong — 2014-2018

Atuou como ator/performer:

ARENA SELVAGEM(Inês Marocco)
THE VIRTUOUS BURGLAR(Aarne Neeme)
ONE WAS NUDE AND ONE WORE TAILS(Aarne Neeme)
PLAYTHING OF THE GODS(Besur Suryono)
SIMPLICITY(Guillermo Angelelli)
THE BLIND AGE(Raka Maitra & T. Sasitharan)
O SOBRADO(Inês Marocco)
INCIDENTE EM ANTARES(Inês Marocco)
O ABAJUR LILÁS(Leandro Ribeiro)
BESTIÁRIO I Zoomorfo(Elcio Rossini)
BESTIÁRIO IV Zoomorfo(Elcio Rossini)
PALAVRAS(Elcio Rossini)

“When you perform a somersault in space which you are usually not able to do because it seems impossible, you regain some trust in yourself… It is not knowing how to do things that is necessary, but not hesitating when faced with a challenge.”
Jerzy Grotowski

Entre em contato e venha teatrar em Inglês

ARENA SELVAGEM – 10 anos de Grupo Cerco

CARTAZ ARENA SELVAGEM FINAL_A3_menor
Em 2018 o Grupo Cerco comemora 10 anos de trajetória! Em comemoração vamos estrear no Teatro de Arena de Porto Alegre o espetáculo ARENA SELVAGEM!

Sinopse: O que é ser selvagem? O Grupo Cerco te convida a entrar em uma arena onde seres humanos encontram-se com sua animalidade. A cidade e a selva. A opressão e a liberdade. O instinto e a sobrevivência. Em meio à artificialidade que criamos para nos diferenciar entre nós e dos outros animais, nossos corpos revelam que essas mudanças são superficiais diante da força da nossa natureza.

Ficha Técnica
Criação coletiva do Grupo Cerco
Livremente inspirado em textos de Carlos Carvalho, Franz Kafka, Carlos Drummond de Andrade e do grupo.
Direção: Inês Marocco
Assistência de Direção: Kalisy Cabeda e Manoela Wunderlich
Dramaturgia: Celso Zanini, Elisa Heidrich e Marina Kerber
Elenco: Anildo Böes, Celso Zanini, Elisa Heidrich,
Kalisy Cabeda, Manoela Wunderlich, Martina
Fröhlich, Marina Kerber, Philipe Philippsen
Trilha sonora original: Celso Zanini, Martina Fröhlich, Philipe Philippsen
Iluminação: Carolina Zimmer
Figurino: Daniel Lion
Confecção de máscaras: Diego Steffani
Cenografia: Rodrigo Shalako
Programação Visual: Marina Kerber
Tradução e Interpretação para LIBRAS: Ângela Russo
Audiodescrição: OVNI Acessibilidade Universal
Produção e Gestão: Daniela Lopes / Cardápio Cultural e Kreativ Produções Culturais
Produção executiva: Daniela Lopes
Realização: Grupo Cerco – 10 Anos
Apoio: Fecomércio SESC
Financiamento: FAC Pró-cultura e Governo do Estado do Rio Grande do Sul

De 13 de julho a 05 de agosto
Sextas e sábados às 20h
Domingo às 18h
Local: Teatro de Arena (Av. Borges de Medeiros, 835)
Classificação etária: 18 anos
Entrada Franca

PROGRAMAÇÃO EXTRA

Sessão com LIBRAS e Audiodescrição
03 e 04 de agosto

OFICINA “A dinâmica dos animais na linguagem cênica”
Com Inês Marocco e Manoela Wunderlich
26 de julho, das 14h às 18h
Gratuito
Vagas: 20
Inscrições email: dlnunes.lopes@gmail.com

BATE-PAPO sobre o processo de criação do espetáculo
22 de julho, logo após a sessão.

Agendamento de escolas e instituições: 51 98436.5552 / dlnunes.lopes@gmail.com

Contato produção: dlnunes.lopes@gmail.com (Daniela Lopes)

Evento ARENA SELVAGEM no Facebook: https://www.facebook.com/events/2094659327414983/
Página oficial do Grupo Cerco no Facebook: https://www.facebook.com/GrupoCerco/
Perfil oficial do Grupo Cerco no Instagram: https://www.instagram.com/grupocerco/

O Sobrado vai para Portugal!

O SOBRADO VAI PARA PORTUGAL! É com muita alegria que informamos que nossa viagem vai acontecer! Embarcamos para Portugal no início de maio e faremos apresentações em Lisboa e Coimbra! Agradecemos imensamente a todas as pessoas que colaboraram. Graças a vocês esse sonho vai virar realidade! Finalizamos a campanha do site kickante com 77% do valor arrecadado e, como ainda não conseguimos cobrir todos os custos, seguiremos na luta! Se você quiser ajudar, seguimos recebendo doações na nossa conta! Vamos realizar alguns eventos para arrecadar o pouco que falta. Nas próximas semanas informaremos vocês aqui pela page do Grupo Cerco.

o sobrado vai para portugal 1Muito obrigado: Ademir Marcolin; Adolfo Almeida; Adriana Dal Forno; Adriana Jorge; Alessandra Bier; Alessandra Braga; Alexandra da Cunha; Alexandre Borin; Alexandre Vieira; Aline Picetti; Alternaide Floriano; Alvaro Costa; Álvaro Heidrich; Amanda Breitsameter; Amanda Lerias; Ana Cerri; Ana de David; Ana de Freitas; Ana de Souza; Ana Mércio; Ana Mottin; Ana Zanandrea; Anaís Passos; André Barros; André de Azambuja; Andre Dutra; André Landini; Andrea Bernardes; Andréa Mostaço; Andreia Amaral; Ane Aguirre; Angélica Boff; Angelita de Oliveira; Angelo Barbosa; Anna Grillo; Anthony Alano; Antonia Moro; Antonio Hohlfeldt; Ariel Medeiros; Arthur de Faria; Artur Boschi; Barbara Conte; Bárbara Rasch; Ben Hur Porta; Bernardo Scarton; Bernatdete Beschorner; Beto Roa; Bibiana Linck; Blanca Brites; Breno Gómez; Bru Valentini; Bruna Espinosa; Bruna Rolim; Bruna Sanguinetti; Bruna Tavares; Bruno Caldas; Bruno Collischonn; Bruno Polidoro; Caio Riter; Camila Bauer; Camila Galarza; Camila Vergara; Camile Villanova; Carin Gerhardt; Carla Antonello; Carla Barth; Carla Gerhardt; Carlos Genz; Carlos Gontijo; Carlos Hallberg; Carolina Teixeira; Casa da Musica; Casemiro Azevedo; Catarina Domenici; Cecília Esteve; Celina de Alcântara; Celinna Franca; Celso Leães; Centro Histórico-Cultural Santa Casa; Cerveja Liberta; Cesar Telles; Ciça Reckziegel; Cibele Sastre; Clarisse da Rosa; Cláudia da Costa; Claudia Tedesco; Claudia Zanatta; Cleiton de Oliveira; Clóvis Massa; Conradho Pasetto; Cristiane Heck; Cristiane Oliveira; Cristiane Werlang; Cristina Capparelli; Cristina Neumann; Cristine Marquetto; DAD – UFRGS; Daiane Moraes; Daisy Cabreira; Daniela Araujo; Daniela Camargo; Daniela Lopes; Daniela Reginatto; Danielle Finsrud; Danilo Baraúna; Danilo Castro; Danuta Zaghetto; Débora Dau; Débora Maier; Dedé Ribeiro; Deise Cardoso; Denise Copetti; Denise Ferreira; Denise Nunes; Denise Spies; Denise Zugno; Diego Bittencourt; Dimitri Cervo; Dolores Viali; Doris Fiss; Douglas Roehrs; Edson de Campos; Eduardo Eipeldauer; Eduardo Feijó; Eduardo Gomes; Eduardo Linn; Eduardo Teixeira; Eglete Varella; Egon Fröhlich; Eleonor Mayer; Eleonora Marocco; Elias Rigon; Elida Tessler; Elisa Philippsen; Elisa Schaeffer; Elisa Viali; Elisabeth Prates; Elisabeth Knebel; Elisabeth Wartchow; Elissa de Brito; Elizabeth Pinto; Eloisa Prates; Elvio Junior; Elvira de Oliveira; Enoe da Rosa; Erika Collischonn; Erika Ferraz; Esther Grossi; Eva Carvalho; Evelise Anicet; Everton Cardoso; Fabiana Santos; Fabiane Bergmann; Fabiano Heck; Fabio Gonzales; Fátima Cassales; Fellipe Madeira; Fernanda Brabo; Fernanda Leite; Fernanda Munari; Fernando de Mattos; Fernando Fuao; Fernando Lopes; Fernando Piccoli; Filipe Rossato; Flávio Gonçalves; Flavio Mainieri; Francelli Cabreira; Francielle Beria; Francisco Almeida Jr.; Francisco Carvalho; Francisco Milanez; Francisco Testa; Fred Vittola; Frederico Demin; Gabriel Boschi; Gabriela de Mello; Gabriela Longo; Gabriela Mesquita; Gabriela Poester; Gabriela Tavares; Gabriella Scott; Giana da Rocha; Gilberto Icle; Giorgio Ronna; Gisela Collischonn; Gisela Rodrigues; Glaé de Sá; Grasiela Rosa; Greici Maurer; Guega Peixoto; Guilherme Conrad; Guilherme Dal Castel; Guilherme Hillebrand; Guilherme Marangon; Guilherme Radomsky; Guilherme Ruduit; Gustavo Coelho; Hana de Andrade; Helcio Gomes; Helena Baron; Helena Mello; Hélio Fervenza; Hélio Pinheiro Filho; Henrique Monteiro; Henrique Schneider; Iassanã Martins; Ida Celina; Igor da Silva; Igor Damasceno; Iran Baldissera; Ivy Saruzi; Jaime Bezerra; Jair Teixeira; Jair Umann; Janete Nedel; Jaqueline Loboruk; Jaqueline Rodrigues; Jeferson Cabral; Jéssica Farias; Joana Kannenberg; João Cornetet; Joice Schenkel; Jorgelina Beltrán; José Bersch; Josi Saldanha; Julia Dantas; Julia Gonçalves; Juliana Mohr; Juliana Ribeiro; Juliana Zart; Julio Appel; Jussara Klein; Karin Collischonn; Karin Engel; Karina Copetti; Katia Pozzer; Katia Suman; Keone Dagani; Lairton da Silva; Laís Webber; Lara Krenzinger; Lauana Rita; Laura Castilhos; Laura Ferreira; Laura Gehrke; Laurêncio Körbes; Lauro Ferreira; Lecy Fischer; Lenora Rosenfield; Leonardo Reginin; Lesley Bernardi; Leticia Moreira; Letícia Oliveira; Lidia Bittencourt; Lidiane Collischonn; Lidiane Leandro; Lígia Petrucci; Lilian Matsubara; Lisardo Kist; Lisiane Massena; Lisinei Rodrigues; Lora Januária; Luana Costa; Lucas Felix; Lucas Monteiro; Lucia de Abreu; Luciana Brito; Luciana de Oliveira; Luciana Éboli; Luciana Pontes; Luciana Prass; Luciano Meireles; Lucila da Silva; Lucy Simon; Luís Costa; Luis Fernando Verissimo; Luís Lucas; Luis Oliveira; Luis Rodríguez; Luiz Oliveira; Luiz Santos; Luiz Vasconcellos; Luiza Bezerra; Luiza Xavier; Manoela Wolff; Manuela Albrecht; Marcela Wunderlich; Marcello Crawshaw; Marcelo Linck; Márcia Böckler; Marcia dos Santos; Márcia Philippsen; Marcia Rosa; Marcio Chiaramonte; Marcos Landim; Marcos Letaif Gaeta; Marcos Rolim; Marelize Obregon; Margarida Peixoto; Maria Giacomini; Maria Gusmão; Maria Levitan; Mariana Arruda; Mariana Azevedo; Mariana Freitas; Mariana Lannes; Mariana Mantovani; Mariana Martins; Mariana Wunderlich; Maribel Selli; Marília Chidichimo; Marilia Prates; Marília Zanini; Marina Mendo; Marina Pelle; Marina Pezzi; Mario Leão; Maristela Debom; Maristela Zancan; Marja do Valle; Marlei Albrecht; Marlene Lopes; Marlon de Almeida;Marô Barbieri; Marta Silva; Martha Rosa; Matheus da Rosa; Matheus Mombelli; Matheus Piccoli; Mauricio Casiraghi; Mesac Silveira Jr.; Michele Rolim; Mimi Aragón; Mirela Kruel; Miriam Pulz; Mirian Roque; Mirna Spritzer; Moira Stein; Monica Bonatto; Monica Dantas; Monica Silveira; Naida de Almeida; Naieni Ferraz; Nair Dagostini; Naomi Siviero; Nara Piccoli; Nátali Karro; Natalia Soldera; Natalie Rodrigues; Nathália Oliveira; Nathalia Tessler; Nicole Abduche; Nicole Scherer; Orlando Silva; Paladares do Mundo; Paola Vasconcelos; Parangolé; Patrícia Binkowski; Patricia Cecato; Patrícia de Araujo; Patricia Fagundes; Patrícia Thiesen; Paula Freitas; Paula Pinheiro; Paula Porto; Paula Schenini; Paulo R. Araújo; Paulo Gomes; Paulo Lopes; Paulo Marocco; Paulo Pappen; Paulo R. Teixeira; Pedro Marques; Pedro Santos; Plinio Mosca; Priscilla Flores; Rafael Albuquerque; Rafael Borba; Rafael Duarte; Rafael Hartmann; Rafael Körbes; Rafael Odorissi; Rafael Sieg; Raquel Caldart; Regis Kreitchmann; Rene Porto; Rita Cavalcante; Roberta Alfaya; Roberto Avelino; Roberto Blum; Rodrigo Aguiar; Rodrigo Gutierres; Rodrigo Longhi; Rodrigo Prates; Rodrigo Rosa; Rosaura França;Roselaine de Souza; Roseli Bodnar; Rosenara Chagas; Rossana de Freitas; Rossana Della Costa; Rossendo Rodrigues; Rosvita Matheus; Sandra Rocco; Sandro Fiorini; Selimar Pais; Sergio Lulkin; Shirley Rosario; Silvana Ávila; Silvia Canarim; Silvia Nunes; Simone Buttelli; Sirlei Alaniz; Sirlei Karczeski; Suelen Gotardo; Suelena Borges; Susana Frohlich; Suzete Martinez; Suzi Weber; Tais Ferreira; Talita Hoffmann; Tatiany Lukrafka; Tejas Prem; Thainan Rocha; Thais de Andrade; Thalen Carvalho; Thiago Freitas; Thiago Jeronimo; Tiago Blaya; Tobias Ferreira; Ubiratan Teixeira; Ursula Gerhardt; Valdir Lima; Vanessa Baí; Vanessa Muller; Vania Pilotto; Vanise Heck; Vera dos Santos; Vera H. Teixeira; Vinhos do Mundo; Vinícius Magnus; Virginia Tavares; Vitor Leães; Vitor Spier; Vitória Titton; Viviana Kreitchmann; Viviane Gawazee; Volmério Coelho; Walesca Petterle; Walter de Souza; Walter Diehl; Werner Schunemann; Yamini Benites; Yasmin Bystronski; Zelia Zaghetto;

Inscrições para as oficinas com o Grupo Cerco!

Estão abertas as inscrições para as oficinas com o Grupo Cerco! Quem tiver interesse pode se inscrever no site, apoiando a campanha: http://www.kickante.com.br/campanhas/o-sobrado-no-brasil-e-em-portugal-0
A recompensa “Ana Terra” dá direito a uma oficina e a recompensa “Maria Valéria” dá direito às quatro oficinas com desconto.
Espalha a notícia, porque essa oportunidade é única e imperdível!

Captura de Tela 2016-03-22 às 22.52.17

JOGOS RÍTMICOS PARA TEATRO
de 06 a 10 de junho, com Philipe Philippsen
Uma oficina leve e brincada, trabalhando sobre exercícios típicos da formação do Grupo Cerco. São explorados jogos simples com constante elevação do grau de complexidade, conforme o grupo vence coletivamente os desafios. O tema principal é o ritmo, em seus diversos entendimentos, explorado através de jogos de ação e reação; bolinha, bastão e corda; texto, música e improvisação. O objetivo é desenvolver individualmente nos atores e atrizes capacidades essenciais para a criação cênica em grupo como desenho e limpeza do movimento, disponibilidade física, foco, atenção, alerta, escuta e, é claro, Jogo. Além disso, o trabalho busca trazer ao grupo um equilíbrio, assim como confiança e cooperação que possibilitem uma maior eficácia na criação cênica.

OFICINA DE MÁSCARA NEUTRA
de 13 a 17 de junho, com Inês Marocco
A técnica da Máscara Neutra permite que o ator desenvolva aspectos fundamentais na atuação : precisão, eficácia e limpeza no gestual e ações físicas. A Máscara Neutra permite que o ator atinja o estado de neutralidade, silêncio e tranquilidade necessários antes de entrar em cena assim como para desenvolver a atitude de alerta.

OFICINA DE BUFÃO
de 20 a 24 de junho, com Manoela Wunderlich
O bufão se caracteriza por viver à margem da sociedade e por ter um corpo diferenciado,fisicamente,em relação aos considerados “normais” pela com comunidade. Ele vive em familias e tem a capacidade de ver e prever o que a sociedade não é capaz de fazer. Ele vive em familias e se situa entre o céu e a terra, dialogando ao mesmo tempo com Deus e o diabo. Com este estilo teatral,o ator tem a oportunidade de desenvolver um jogo permeado pelo grotesco,ampliando assim as suas potencialidades de atuação.

OFICINA DE MÉTODO VIEWPOINTS
de 27 de junho a 1º de julho, com Martina Fröhlich
O método Viewpoints é um treinamento para atores e bailarinos surgido nos Estado Unidos, que desafia a criação do artista em sua relação com o tempo e o espaço. O método traz ferramentas para o improviso valendo-se dos nossos sentidos e de uma visão mais ampla da construção cênica. Através do Viewpoints o corpo é potencializado ao máximo em sua capacidade de livre criação. Na oficina trabalharemos a introdução ao método, fazendo exercícios coletivos de percepção e improvisação.

As oficinas serão ministradas uma por semana, de segunda a sexta, à noite, das 18h30 às 21h30. Serão 4 dias de 3 horas e o um quinto dia com 4 horas (indo até as 22h30).

Muito obrigado por seu apoio!